Teatro Por Que Não?

quarta-feira, outubro 18, 2017

Quem? Qual? Cuma? Hein? - Poema Ema

Vamo ver quem vai estar nessa semana no Espaço Cultural Victorio Faccin???

Raquel Guerra e Natália Dolwitsch
Poema Ema

As convidadas da vez são Raquel Guerra, do grupo Ateliê do Comediante e Natália Dolwitsch, do grupo Umbigo de Bruxa - virações artísticas
As duas juntaram a paixão que tinham pelas artes circenses para criar o espetáculo Poema Ema, que estará no próximo sábado, participando da programação do EM CARTAZ 2017. Além do Poema, elas recentemente dividem o palco com o espetáculo Varieté, que estreou neste ano. Que tal conhecê-las melhor?


1) Qual é a sua profissão atual? 

Raquel - Minha atual profissão é ser professora e pesquisadora de teatro, na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Natália - Sou atriz, bambolista e artista circense.

2) Quando você começou a entrar em contato com as artes cênicas? 

Raquel - Entrei em contato com as artes cênicas na escola, na década de 1990 com a diretora e professora de teatro Desdemona Machado, importante figura do teatro de Passo Fundo. Na época, tinha uns 12 anos e comecei com oficinas de teatro no Sesc Passo Fundo. Depois vim para Santa Maria cursar Artes Cênicas na UFSM, onde me formei e depois trabalhei em Santa Catarina, desenvolvendo projetos culturais. Fiz mestrado e doutorado na UDESC e depois retornei para Santa Maria, desde 2012.

Natália - Meu contato com as artes cênicas chegou através da dança, quando eu tinha 04 anos. Fiz balé desde essa idade e depois fui migrando para outras danças até chegar ao teatro e ao circo. As artes sempre fizeram parte do meu cotidiano desde criança.

3) Como o Poema Ema foi criado? 

Natália - O Poema Ema foi criado através de a parceria minha de Raquel. Ambas tinham vontade de explorar uma prática teatral que envolvesse as diversas modalidades artísticas que nos interessamos como o circo, a poesia, a contação de história... Queríamos também que fosse um espetáculo infantil por que nós duas gostamos de pensar no que a criança gosta de assistir e o que é produzido pra crianças hoje em dia. E através dessa vontade a gente começou a experimentar algumas idéias até que a Ema surgiu e gente começou a procurar ela. Não sabemos ainda quem é a Ema mas é ela que nos move a continuar.


Foto: Guilherme Senna
Raquel - O Poema Ema foi criado no ano passado (2016), no começo do ano. Eu e Natália nos reunimos e começamos a pesquisar um repertório de literatura infantil, histórias antigas e a gente somou isso a um trabalho que a gente vinha pesquisando aqui dentro da Universidade (UFSM), em 2015, que era relacionado à técnicas circenses.  No meio desse processo, a gente queria dar conta de muitas coisas e (risos) não dava conta delas, óbvio, e aí a gente convidou a Cândice (Lorenzoni - atriz, professora da UFSM) e o Guilherme (Mello - ator) que fazem a parte criação musical do espetáculo, e também assumem a atuação, junto com a gente, na condução da narrativa.  Aos pouquinhos fomos juntando mais gente, projetos, que são aqui da Universidade e outros projetos que são independentes, que a gente tem fora da Universidade. O Poema Ema traz esses dois universos, de pesquisa e criação, que é do âmbito do grupo, com as pessoas que a gente faz parceria e a Universidade com os projetos de pesquisa e extensão que a gente faz aqui.


4) O que você acha do panorama cultural de Santa Maria?

Natália - Santa Maria oferece um cenário cultural misto. Encontramos diversos grupos espalhados pela cidade oferecendo diversas atrações culturais das mais diversas formas. O teatro, a dança, a música, o circo... E embora estejamos todos espalhados existe uma união forte que a própria cidade condiciona. O lugar da arte e principalmente do artista significa também o lugar da resistência. Assim como diversos projetos culturais surgem na cidade logo desaparecem por uma cerca decadência no incentivo maior, porém, felizmente existem os que permanecem vivos e continuam se fortalecendo.


Foto: Guilherme Senna
Raquel - Sobre isso, talvez eu seja um pouco otimista, acho que a gente realmente tem um panorama bem legal aqui em Santa Maria, tanto no contexto do teatro quanto no contexto da música, que são as áreas que eu mais acompanho, mas também acho que tem uma boa expressão no campo do cinema, mais particularmente o que eu mais acompanho é o trabalho da TV OVO, e na área das artes visuais, daí eu acompanho mais o pessoal da escultura, especificamente o pessoal da Gare, mas existem vários outros ateliês, grupos... Então acho que Santa Maria tem um panorama cultural bem vasto, diverso e do meu ponto de vista, de boa qualidade. O que eu acho que falta, pensando na cultura, são as políticas públicas consolidadas, que deem prestígio e valorização à essa variedade de práticas culturais que existem por aqui, que os espaços também possam ser bem democratizados e incentivados. Quer dizer, existem muitos artistas, várias produções culturais, mas não tem  uma vazão adequada para tanta produção e aí, por conta disso, a gente não acaba conhecendo a produção cultural local. Isso também se refere à Universidade, nas suas várias áreas de conhecimento e produção artística que se desenvolve dentro dela e nem sempre sai para comunidade, assim como grande parte do trabalho dos artistas de Santa Maria mesmo, não sai da cidade e outros (artistas) são mais conhecidos fora de Santa Maria do que dentro da cidade. Então acho que falta incentivo na manutenção das produções artísticas locais.


Bacana, né não?! Muito obrigada gurias, pela atenção e disponibilidade!


Poema Ema

Sinopse 

Poema Ema conta a história de duas amigas que vivem grandes aventuras ao procurar por uma desconhecida e misteriosa Ema. Esse incógnito ser que ninguém vê, mas muito dele se fala, deixa pistas e charadas de seu paradeiro escondidas em poemas, acrobacias e brincadeiras. É um espetáculo que mescla teatro, circo e literatura infantil.

Ficha técnica

Elenco
Natália Dolwitsch 
Raquel Guerra 
Cândice Lorenzoni
Guilherme Mello

Produção executiva e montagem 
Gelton Quadros 
Laédio José Martins 
Juliana Gedoz Tieppo

Comunicação
Andreas L. Ross 

Fotografia 
Fernanda Abegg e Guilherme Senna

Audiovisual 
Mariana Magalhães e Breno Surreaux Fixman

Produção
Ateliê Do Comediante 
Umbigo de Bruxa - virações artísticas 
UFSM - Universidade Federal de Santa Maria


Tire a tarde do sábado para vir curtir o Poema Ema. Anote aí e venha!

Poema Ema no Em Cartaz 2017
21 de outubro de 2017 - 16h 
Espaço Cultural Victorio Faccin 
Rua Duque de Caxias, 380 
R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (estudantes e idosos)
Classificação: Livre 

Confirme a sua presença aqui!
Quer saber mais sobre o EM CARTAZ 2017? Clique aqui!

Até a próxima!

sexta-feira, outubro 13, 2017

Se é vlogagem que vocês querem...

Então, olha só o que saiu quentinho nessa semana...

UM VLOG MARAVILINDO PARA ENFEITAR O YOU TUBE!


A gente na Redenção - óia o tempo se armando...

No nosso segundo VLOG, a gente mostra um pouquinho sobre a passagem dos Amores aos Montes nas cidades de Novo Hamburgo e Porto Alegre, com uma leve passada por Restinga Seca (Salve, Santo Cezinha, que nos alumeia e nos salva e a Santa Luiza que nos alimenta).

Conhecemos a Casa da Praça, as muitas atividades que promovem com muita paixão e alegria, experimentamos uma apresentação totalmente fora do comum (ahá! vai ter que assistir!), fomos até ao principal Parque da capital do Rio Grande do Sul, encontramos amigos, familiares e mostramos aos que não nos conheciam, um pouco do nosso trabalho.

Nos bastidores, ajeitando os novos ajustes 

Não fomos ao Habbib's (poxa, eu queria muito!), mas voltamos para a casa com um sorrisão estampado na cara. 

Assista como foi e não esqueça de se inscrever no nosso canal do You Tube e dar aquele joinha sincero pro nosso video, certin?

👍




Curtiu? Quer mais? Tem uma ideia bem bacana para os próximos vídeos?

Então comente aqui embaixo!!!

Até a próxima!

A equipe toda, bem bonitona (Olha só a pose de garota do Fantástico do Gege! Hehehehehe)

quinta-feira, outubro 12, 2017

Aconteceu! Travessias em conto



Em um sábado que tinha tudo para cair um toró, estavam dois atores no Espaço Cultural Victorio Faccin, apreensivos para mais uma apresentação. 

Era um espetáculo que acontecia poucas vezes no ano, então nada poderia dar errado. Afinaram as luzes, deram as marcações... Faltavam 2 horas para começar e eles já estavam maquiados.

Nervosismo?

Medo?

Ansiedade?



Não... era falta de olhar o relógio mesmo. 

Enchem o bucho de torrada murcha aquecida no microondas, um pouco pálida, mas incrivelmente deliciosa. Uma Coca Zero pra fazer descer. 

Começam a aquecer. Rola uma playlist de youtube, uma saracoteada no corpo, uma Pabllo Vittar para soltar a voz, uma Sia para imitar a guriazinha do clipe "Chandelier". Chegam e falam que a Copa está cheia e que há fila para bilheteria. 

Aquela vontadezinha de fazer xixi de nervoso arrepia até a nuca. Mas já era, não tem como, tá na hora e as pessoas já se acomodaram. 

Respiraram fundo.... 

Foi...



Pularam, brincaram, bordaram, se divertiram!

Terminaram satisfeitos, cansados, mas satisfeitos. 

Um gole de cerveja de latão, um (monte) de lencinho umedecido para tirar toda aquela craca de maquiagem, o suficiente para ficar bunitin. 

Uma ligada estratégica para Bira, nosso fiel botequeiro, uma mesa reservada e um alívio para os estômagos famintos. 


É... o dia valeu!

Até o próximo ano, Travessias!

Fotenhas: Anderson Martins

terça-feira, outubro 10, 2017

Amores para o mês da criança!!!

Oi gente!!

Vocês viram o presentinho que Luiza e Cezar deram para o mundo????


Estamos todos babando horrores, parando de trabalhar só pra olhar o Ianzito respirando, fazendo careta, biquinho, abrindo aqueles olhinhos.... AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH... Que lindo!

Estamos tão inspirados em nenês que montamos um circuito de apresentações do Amores aos Montes para a região central do Rio Grande do Sul neste mês de outubro.

Foto: Thiago Formentini

Por acaso você estará nestas cidades: São Pedro do Sul, Dona Francisca, Nova Esperança do Sul, Vila Nova do Sul, Rosário do Sul e Nova Palma?

Algumas dessas apresentações apresentações são pelo SESC- RS e você poderá ver quando e onde será cada uma delas, dá uma olhada:

11 de outubro de 2017 - 14h
Praça Central
São Pedro do Sul - RS
GRATUITO

13 de outubro de 2017 -  10h30 
Parque Histórico Municipal
Dona Francisca - RS
GRATUITO

23 de outubro de 2017 - 14h30
Vila Nova do Sul - RS
GRATUITO

24 de outubro de 2017 - 15h
Nova Esperança do Sul - RS
GRATUITO


28 de outubro de 2017 - 17h
Festival Internacional Rosário em Cena
Praça Central 
Rosário do Sul - RS
GRATUITO

30 de outubro de 2017 - 14h30
Nova Palma - RS
GRATUITO

Foto: Luc Guillande

Ainnn Aline, eu vou ficar por Santa Maria mesmo, vocês não vão apresentar por aqui???

Vamos sim!

Novamente estaremos no palco do Brique da Vila Belga num domingão gostoso e aconchegante, viu?!

Amores aos Montes 
15 de outubro de 2017 - 17h 
Brique da Vila Belga
Santa Maria - RS
GRATUITO


Não sabe qual espetáculo é Amores aos Montes? Clique aqui e saiba mais.

Leve a família e amigos para curtirem esse momento bem bacana!

Até a próxima!

P.S.: Em caso de chuva, o espetáculo poderá não ser realizado. (Má vamo torcer que não chova, néam?) 

terça-feira, outubro 03, 2017

Travessias no EM CARTAZ 2017!!!

Oi, seus lindos!

Já estamos em outubro e o EM CARTAZ 2017 ainda tá firme forte. 

Viu a programação

Entonces, nessa semana é vez do espetáculo da casa botar as caras no palco do Espaço Cultural Victorio Faccin. É um espetáculo sazonal, apresentamos poucas vezes ao ano, então: não perca a oportunidade de assistir

TRAVESSIAS!


Foto: Eduardo Ramos

Se não te convenci ainda, então saiba mais sobre esse espetáculo divertido (sou suspeita de falar, né?! Mas é que é muito divertido mesmo apresentar):

"Depois de cada coito, qual é porcentagem dos direitos autorais deve ao preservativo?"

Essa foi a frase de Fernando Arrabal sobre o nosso espetáculo. Arrabal é o autor do texto "Oração",  que é a peça base do espetáculo Travessias. Para a gente ter a liberdade em apresentar o espetáculo, André Galarça (diretor e ator) resolveu entrar em contato com ele para ver como proceder com os direitos autorais. Além de ter recebido a benção do autor via email, Arrabal ainda nos catalogou como outro (mais um) "arrabalesque" em seu blog

É o espetáculo mais antigo em atividade do nosso catálogo de espetáculos

Travessias estreou em novembro de 2011, numa época que espetáculos pipocaram no catálogo do Por Que Não?, em função do final de ano acadêmico da UFSM.  No mesmo período estrearam O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, Do outro lado do passeio público Medea Mulher Material, O Diário de Anne Frank e Galáxias e ovos de galinha.

Estreia (que tempo bom... sdds) - Foto: Anderson Martins

Fomos até azoropa!


Apesar de poucas apresentações, Travessias cruzou o Atlântico e foi apresentado no Festival PERIFERIAS, do coletivo Chão de Oliva, em Sintra, Portugal. Isso foi em 2014. Lá, nos ofereceram um celular em troca de nossas balinhas milagrosas (ficou curioso, néééé? então, vem assistir), o celular ficou ligado e em cena o espetáculo inteiro, ou seja, poderiam ligar a qualquer momento. (cagaço feelings)

Coisas de estreia

É praticamente uma regra: quando é estreia, alguma coisa acontece. Não podia ser diferente com o Travessias - na hora do ensaio geral, em uma cena de briga, André lança Aline contra o carrinho de lixo, só que no meio do caminho tinha uma roda de bicicletinha. Resultado: estreia com o nariz dolorido e levemente inchado. Durante o espetáculo havia uma cena de assalto com o público, a bolsa  roubada da vez foi de uma guria que tinha recém-operado o ombro. Levamos a bolsa e o ombro da menina. (Carolzinha, desculpaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!)

O carrinho com a bicicletinha... Foto: Anderson Martins

André com dupla função

No primeiro momento, André estava só na direção do espetáculo. A dupla de atores na época era Aline Ribeiro e Cauã Kubaski. Por problemas de saúde, Cauã precisou sair e como estávamos em cima do laço, André achou melhor entrar na dança e foi atuar também. 

Brincadeira de criança

A estrutura do espetáculo foi feita em cima de brincadeiras infantis. André nos botou pra cavocar nossas lembranças de criança e tirar de lá várias referências para enriquecer o espetáculo. Não preciso nem dizer o quão emocionante foi esse processo, néam????

Mais referências!

Além do texto de Arrabal e nossas lembranças de criança, Travessias também se inspirou no documentário Juízo, que mostra a realidade de jovens infratores brasileiros no momento de seus julgamentos. Quer assistir? Olha aí embaixo:





Ufa! Agora tu vem nos ver, né???

Então anota aí e venha:

TRAVESSIAS no EM CARTAZ 2017
07 de outubro de 2017 - 20h30 
Espaço Cultural Victorio Faccin
Rua Duque de Caxias, 380 - Rosário
Ingressos: R$ 16,00 (inteira) e 
R$ 8,00 (estudantes e idosos) - tem online também!!!!

Contamos com a sua presença! Aliás, você poderá confirmá-la aqui!

Até a próxima!