Teatro Por Que Não?: Gabriela, Cravo e Canela

sábado, abril 03, 2010

Gabriela, Cravo e Canela



Foto: Cláudia Schulz

SINOPSE
O espetáculo conta a história de amor entre o árabe Nacib, dono do bar mais famoso da cidade, e a cozinheira Gabriela, retirante que chega a Ilhéus fugindo da enorme seca que assolava o sertão nordestino. Com seus temperos picantes e sua sensualidade inocente, a cozinheira Gabriela conquista não só o coração de Nacib como também seduz muitos dos homens da cidade, colocando em cheque a férrea lei local, que exigia que a desonra do adultério feminino fosse lavada com sangue.


Foto: Cláudia Schulz

SOBRE A MONTAGEM
Em Gabriela, Cravo e Canela a atriz propõe a construção do espetáculo através de uma pesquisa acerca do povo nordestino, compondo o gestual de seus personagens, sua forma de falar e agir, bem como a paisagem de terra e de encantos que Jorge Amado nos convida: Ilhéus. Além disso, são postas em cena duas manifestações populares brasileiras buscadas pela atriz na elaboração do trabalho-solo: o Reisado e os Cantos de Trabalho, para que o espectador possa se sentir levado as terras das amêndoas de cacau, mas sem se desviar nos jagunços e coronéis no caminho.


Foto: Cláudia Schulz

FICHA TÉCNICA
Texto: Livremente inspirado na trajetória da personagem Gabriela, do romance homônimo de Jorge Amado
Direção e atuação: Juliet Castaldello
Orientação de atuação: Aline Castaman
Adaptação do texto: Juliet Castaldello e Aline Castaman
Iluminação: Vinícius Canto Blanco
Operação de luz: Luiza de Rossi
Trilha sonora e sonoplastia: Adriano Taques, Cezar Gomes e Evelíny Pedroso
Cenografia: Evelíny Pedroso
Figurinos e objetos cênicos: Aline Castaman, Evelíny Pedroso e Juliet Castaldello
Maquiagem: Aline Ribeiro
Realização: Teatro Por Que Não?

Foto: João Neves

Foto: Francieli Rebelatto

CURRÍCULO DO ESPETÁCULO
Apresentações realizadas

2009
14 de dezembro - Duas apresentações na estreia do espetáculo, no Teatro Caixa Preta, em Santa Maria - RS

2010
23 de abril - Apresentação para o projeto Palco Fora do Eixo, no Ateliê da GARE da estação, em Santa Maria - RS

2011
14 de maio - Apresentação no 1º MOSAICO - Mostra Artística Independente do Catálogo Teatro Por Que Não?, realizado no Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS

Foto: Francieli Rebelatto

UM SUCESSO DE PÚBLICO E UM PÚBLICO SATISFEITO
por Talita Tibola

Essa talvez seja a melhor descrição da segunda edição do Palco Fora do Eixo de Santa Maria, que contou com a apresentação do espetáculo Gabriela, cravo e canela do Grupo Teatro Por Que Não?, demonstrando que a discussão sobre a criação de um público de teatrorealizada pelo pessoal do Palco Fora do Eixo na semana passada no Caixa Preta, já vem dando seus frutos. 
Uma atriz desdobrando-se de forma natural e incansável em mais de cinco personagens, trilha sonora muito bem trabalhada para compor as cenas, assim como o cenário, que contava com a presença dos próprios músicos – entre eles a cantora que, mesmo quando imóvel, carregava uma grande força expressiva. Tudo isso numa montagem que segundo Gabriel, formado em Letras e estudante de Artes Cênicas, “…desarma o expectador que pretendia analisar a peça, convidando-o simplesmente a desfrutá-la.” Já seu amigo Malcon, estudante de pós-graduação em Engenharia Florestal, que é natural da região de Ilhéus – cidade onde se passa a trama – emocionou-se por sentir-se levado até suas terras através da encenação e elogiou o trabalho da atriz no que diz respeito ao regionalismo, segundo ele muito bem realizado através do gestual e principalmente do trabalho vocal. Esses são alguns dos elementos presentes na peça e que contribuíram para a sua boa aceitação por parte do público. Além de atestar a qualidade da peça teatral apresentada, a satisfação do público confirma que a proposta do Palco Fora do Eixo está tendo êxito. A aprovação se deve por criar “uma maior movimentação do teatro na cidade”, como fala Daiane, estudante de Artes Cênicas, “e de forma acessível”, conclui a estudante de Física, Luciana, ressaltando o baixo valor dos ingressos. Essa movimentação do teatro proporcionada pelo Palco Fora do Eixo mobiliza não somente as artes cênicas, mas também a cidade como um todo. Faz pulsar cultura nos próprios espaços desta e reativa-os, seja ocupando de maneira mais massiva os locais específicos para teatro seja criando uma nova possibilidade de aproveitar os locais que não cumprem comumente essa função, como é o caso do Ateliê da Estação, palco do espetáculo Gabriela, cravo e canela.

Um comentário:

  1. adorei essa realmente e uma peça q tem muito a falar uma peça q emociona com o seu contexto

    ResponderExcluir