Teatro Por Que Não?: O Afogado Mais Bonito do Mundo

sábado, abril 03, 2010

O Afogado Mais Bonito do Mundo




Foto: Francieli Rebelatto

SINOPSE
O espetáculo O Afogado Mais Bonito do Mundo localiza uma vila de pescadores, perdida em um lugar remoto, que recebe do mar um volume escuro e silencioso, um afogado. Enquanto os homens buscam por informações sobre o afogado nas redondezas, as mulheres o preparam para o sepultamento, ao mesmo tempo em que cuidam e fantasiam sua vida fora dali. Em cena, o ator André Galarça remonta a trajetória imaginada e sonhada pelas mulheres que o acolhem, bem como a atual condição daquele lugar. Por fim, o funeral mais esplêndido é preparado e “houve tantas flores e tanta gente, que mal se podia caminhar”.

Foto: Francieli Rebelatto


SOBRE A MONTAGEM
A proposta da montagem visa explorar a estética realista fantástica proposta pelo autor García Márquez. Fatos inexplicáveis e outros que, embora reais, fogem ao convencional, são abordados em O Afogado Mais Bonito do Mundo. Na cena, a criação cênica do espetáculo-solo vale-se do trabalho do ator sobre si mesmo a partir das experiências vivenciadas durante sua vida artística e também relacionadas ao curso de Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Maria.

Foto: InfoCampus UFSM, divulgação

FICHA TÉCNICA
Texto: Livremente inspirado no conto homônimo de Gabriel García Marquéz
Criação e Atuação: André Galarça
Iluminação: Juliet Castaldello
Maquiagem: Aline Ribeiro
Figurinos: Tânia Galarça
Trilha Sonora: Thiago Theobald
Cenografia: André Galarça
Realização: Teatro Por Que Não?

Foto: Cláudia Schulz

Foto: João Neves


CURRÍCULO DO ESPETÁCULO
Apresentações realizadas

2009 
13 de dezembro – Duas apresentações (estreia do espetáculo) no Teatro Caixa Preta da UFSM – Santa Maria - RS. 

2010
17 de abril – Apresentação para o projeto Treze: o Palco da Cultura, no Theatro Treze de Maio, em Santa Maria - RS; 
23 de junho – Apresentação para o Programa de Extensão Teatro Fora do Eixo, no Theatro Treze de Maio, em Santa Maria - RS; 
25 de junho - Apresentação para o Programa de Extensão Teatro Fora do Eixo, no Theatro Treze de Maio, em Santa Maria - RS; 
13 de agosto - Apresentação para o Palco Fora do Eixo, no Ateliê da Estação Férrea da Gare, em Santa Maria - RS. 

2011
21 de maio - Apresentação pelo 1º MOSAICO - Mostra Artística Independente do Catálogo Teatro Por Que Não?, no Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS.

2012
02 de novembro - Última apresentação do espetáculo. Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS. 

Foto: Francieli Rebelatto
DA MORTE, NASCE O DESEJO - Monólogo propõe reflexão sobre as relações humanas
Por Sílvia Medeiros, Diário de Santa Maria

Quando os dias já se arrastavam ao longo dos anos, e nada mais se sabia sobre desejos e esperança, um distante povoado de pescadores vê o corpo de um homem flutuando no mar. Trazido pelas ondas, logo se percebe que ele já estava morto. As mulheres da comunidade se encarregam de preparar o desconhecido para o enterro, e os homens vão atrás de desaparecidos em outros vilarejos. Esse povoado de lugar nenhum, criado por Gabriel García Márquez no conto O Afogado Mais Bonito do Mundo, nunca mais seria o mesmo.
A história do escritor colombiano será encenada pelo ator André Galarça amanhã, no Theatro Treze de Maio. O monólogo de mesmo nome é a segunda apresentação do projeto Treze: o Palco da Cultura de 2010. O conto, que mostra uma realidade afetada por elementos fantásticos, e a produção do espetáculo, com jogos de luzes e outras montagens, provocam diferentes leituras e reações no público.
– O espectador cria as suas próprias imagens. A estética realista fantástica do conto de Gabriel García Márquez deixa o teatro muito rico – comenta André, integrante do grupo Teatro Por Que Não?.
A realidade daquele vilarejo vai se transformar com a chegada do corpo. Enquanto o preparam para o enterro, entre risos e pensamentos ingênuos, aquelas mulheres ficam imaginando como teria sido a vida e a morte do afogado.
– O texto do escritor pontua basicamente as relações humanas. Também trata, de maneira muito sutil e inocente, a infidelidade, o adultério – conta André.
A grande virada – Por meio dos pensamentos e das conversas, as mulheres descobrem sentimentos que pensavam não ter mais. Quando os homens retornam ao vilarejo, ficam com ciúmes do afogado: eles ainda saberiam provocar reações em suas mulheres, assim como aquele homem fez? Esse poder eles já desconheciam.
– Com isso, vem a reflexão, o ponto de mudança na comunidade. Homens e mulheres começam a questionar a realidade em que vivem – conta o ator.
Dos cinco espetáculos do grupo, André diz que O Afogado Mais Bonito do Mundo é o que mais se aproxima do cotidiano. O Teatro Por Que Não?, formado por oito estudantes de Artes Cênicas, da UFSM, de diferentes semestres, é reconhecido por trabalhar com temas polêmicos e atuais, que fazem pensar. No último sábado, apresentou no Treze de Maio o espetáculo O Abajur Lilás, sobre prostituição. No dia 24 deste mês, estará novamente no Theatro com a peça Fim de Partida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário