sexta-feira, abril 09, 2010

"A profissão sem glamour"

Amigos e teatreiros.

Para reforçar o convite, vou postar aqui a matéria chamada A profissão sem glamour, feita essa semana pela Tatiana Dutra, publicada no Diário de Santa Maria de hoje, sobre a apresentação no Theatro Treze de Maio, da peça O Abajur Lilás. Esperamos por vocês amanhã, as 20:30, com muitas boas energias. A foto é do Jean Pimentel e aqui vai a matéria:


A profissão sem glamour

Peça ‘O Abajur Lilás’ mostra o lado escuro e opressivo da prostituição

Não raro, as obras dramáticas para TV e cinema glamourizam a prostituição ou fazem com que público simpatize com as meretrizes e seu universo. A ignorante Bebel (Camila Pitanga) foi o personagem de maior sucesso da novela Paraíso Tropical, e até hoje há quem não entenda que Holly Golightly (Audrey Hepburn) era uma garota de programa em Bonequinha de Luxo (1961).

Mas não há espaço para simpatias na peça O Abajur Lilás, que será encenada amanhã, no Theatro Treze de Maio. A peça que Plínio Marcos escreveu (oito anos depois de Audrey Hepburn tomar seu café da manhã em frente à Tiffany’s) desperta sentimentos de ira, medo, desespero, pena e impotência. A incapacidade de agir é um sentimento que contamina o público a partir do palco. Os vetores são as personagens principais Dilma (Juliet Castaldello) e Célia (Aline Ribeiro), mulheres da vida que vivem no prostíbulo de Giro (Cauã Kubaski). Ambas se rebelam contra a exploração do cafetão, que avidamente lhe cobram grossas fatias do dinheiro obtido por meio do sexo. Porém, as reclamações das duas são rechaçadas a porradas.

Tortura – Inconformada com o tratamento, Célia quebra o abajur lilás de seu quarto. Uma prostituta novata, Lininha (Luiza de Rossi) assiste ao ataque de fúria e, mesmo pressionada pelo chefe, não conta quem é a autora do “crime” – já que dedurar colegas é algo inaceitável no código de honra das meretrizes. Porém, Osvaldo (Deivid Machado), o sádico leão-de-chácara de Giro, aproveita-se da situação: sem que ninguém veja, quebra o quarto inteiro e desperta a fúria do cafetão, que começa uma noite de torturas em busca de uma culpada. A noite se encaminha para uma tragédia.

Realizado pelo grupo Teatro Por Que Não?, de alunos do curso de Artes Cênicas da UFSM, Abajur Lilás tem um texto atual, apesar de remeter a 1969, época em que foi escrito.

– A peça foi escrita na época da ditadura e remete a essa situação de opressão, tortura e morte. Mas o Plínio Marcos dizia que escrevia peças para o tempo dele, se era atual hoje é porque o país não evoluiu – diz o diretor do espetáculo, Felipe Martinez.

A apresentação de amanhã faz parte do projeto Treze: o Palco da Cultura. O Teatro Por Que Não? ainda apresentará outros dois espetáculos dentro do mesmo projeto no Theatro: no dia 17, O Afogado Mais Bonito do Mundo, e no dia 24, Fim de Partida. Abajur Lilás, que está em sua sexta apresentação, já tem montagem marcada para outubro, no teatro Paulo Autran, da Faculdade Ítalo Brasileira, em São Paulo.

tatiana.dutra@diariosm.com.br
TATIANA PY DUTRA

EM RESUMO
- O quê: espetáculo teatral O Abajur Lilás
- Direção: Felipe Martinez
- Texto: Plínio Marcos
- Com: Aline Ribeiro, Cauã Kubaski, Deivid Machado Gomes, Juliet Castaldello e Luiza de Rossi
- Quando: amanhã, 20h30min, duração de 1h05min
- Classificação: indicado para maiores de 18 anos
- Onde: Theatro Treze de Maio (Praça Saldanha Marinho, s/nº, (55) 3028-0909)
- Quanto: R$ 10 (público geral), R$ 5 (estudantes e idosos) e R$ 7 (sócios do teatro)

VEM POR AÍ
As próximas peças que o grupo de teatro Por Que Não? levará ao Treze:
Dia 17, às 20h30min
O Afogado Mais Bonito do Mundo
- Texto – Gabriel García Márquez
- Criação e Atuação – André Galarça
Dia 24, às 20h30min
Fim de Partida
- Texto – Samuel Beckett
- Direção – Luiza de Rossi 







2 comentários:

  1. Eu diria que o espetáculo Abajur Lilás é atual não porque o Brasl não evolui, mas sim porque a HUMANIDADE não evolui.

    ResponderExcluir
  2. LINDO MATERIAL, gostaria de conhecer mais e melhor o trabalho, sou PRESIDENTE da Associação Rosário em Cena, Paulo Evandro Costa - msn pauloevandro_9@hotmail.com, e estou procurando um trabalho para colocar na SESSÃO MALDITA do Fstival Rosário em Cena de Rosário do Sul, abraços... ponto de referência VANESSA GIOVANELLA, falem com ela... obrigado e merda à todos!

    ResponderExcluir