segunda-feira, junho 14, 2010

E a empolgação continua!

Alguns minutos antes da apresentação, por Lucas Figueiredo Baisch 





O terceiro FETISM - Festival de Teatro Independente de Santa Maria, está com tudo, tudo e mais um pouco. Estamos vendo, comparecendo e participando da agitação teatral que está movimentando Santa Maria. A cada dia, um pouco mais de público, um pouco mais de debate, um pouco mais de fazer teatro. Nesses momentos a gente pára e pensa: é isso, e não é mais nada. O Teatro Por Que Não? marcou presença no FETISM no domingo, dia 13, apresentando o espetáculo "O Abajur Lilás". Desde a sexta-feira víamos o Espaço Cultural Victório Faccin se preenchendo um pouco mais a cada dia de festival que passava. 
Giro (Cauã Kubaski) e Dilma (Juliet Castaldello), por Lucas Figueiredo Baisch

Ontem, minutos antes de "começar" o espetáculo, já estávamos em cena, e víamos o público chegando e preenchendo, lugar a lugar, com olhos curiosos pelo que estava por vir. Começa o espetáculo, começamos a reviver aquelas pessoas, aqueles rostos, aqueles gestos, e, falando por mim, estava sentindo saudade deles, de poder vivê-los diante de outras pessoas, mostrando suas fraquezas, suas imprecisões e suas vontades, seus desejos reprimidos, geralmente nunca atendidos. A cada segundo de espetáculo que se passava, os personagens iam se encaminhando para seus infelizes destinos, encrenca atrás de encrenca, e o público ali, nos dando força, nos lançando suas energias. Sem tais energias, imagino que não iríamos a lugar nenhum. O pavor nos olhos, as tensões no pescoço, as reações de espanto e de "não acredito que ele fez isso" eram inúmeras, e povoavam o teatro após o desfecho da peça. 

Giro (Cauã Kubaski) e Leninha (Luiza de Rossi), por Lucas Figueiredo Baisch


Depois disso, nos encaminhamos para o debate, que é muito revigorante, por entendermos os olhos curiosos do nosso público, por vermos o que acontece com estas pessoas ao assistirem aquelas outras em situações tão deploráveis. Felizes por termos terminado mais uma, a gente dá um passinho a mais. E agora, como sempre digo, que venha a próxima. 

Teatro Por Que Não? no debate sobre o espetáculo "O Abajur Lilás", por Lucas Figueiredo Baisch


A felicidade continuou quanto vi a Praça Saldanha Marinho tomada por uma multidão hoje, que se deliciava ao ver o Palhaço Rabito (Daniel Lucas), do espetáculo "La Perseguida" (Dir: Gabriela Amado), na espera do seu alguém. Todas as idades, todos os gêneros, estavamos todos grudados as gags cômicas que o palhaço fazia para que o tempo passasse, na espera do seu alguém. Na espera do seu alguém, ele nos fazia esperar com ele, ele nos fazia sentir seu desgosto, rir sua trapalhada, e chorar seu pranto. E de tanto esperar seu alguém, ficou na espera o público, na espera de mais um pouco daquele "não chegar". 
Ainda tem mais cinco dias, mais cinco espetáculos, e mais oficina, e mais debate, e mais teatralizar a cena santa-mariense. Que só melhore. Vou postar agora o link da nossa entrevista sobre o espetáculo para a cobertura colaborativa do festival, que está mostrando trabalho de maneira impressionantemente ágil, acompanhando equipe técnica do festival, artistas, espetáculos e público, e tudo.... (!) deixando todos informados sobre tudo que anda rolando no blog do festival. Aqui vai:




 


Por hora, fico por aqui, cheia de expectativas para os próximos dias. Muita merda pra todos! Por que não, né?

Juliet Castaldello
Teatro Por Que Não?

Um comentário:

  1. Ju...Parabéns...sei que é vc que está alimentando o blog...está bem organizado...e recheado de informações. Estou a par de tudo que acontece, devido a esse blog. Bjs Merda pra vcs!

    ResponderExcluir