Teatro Por Que Não?: Ajudas, trocas, parcerias... Assim também nasce a criação!

domingo, janeiro 23, 2011

Ajudas, trocas, parcerias... Assim também nasce a criação!

Primeira parte


A arte como profissão

No século XXI, mais especificamente no ano de 2010, uma aliança de oito pessoas surge com o objetivo de levar adiante um conjunto de obras dramáticas criadas para serem representadas nos palcos, assim como as técnicas e os meios artísticos que concorrem para esta representação. Essa aliança não surge somente com esse objetivo; há um entusiasmo dentro de cada um que ajuda essa união a seguir adiante: a arte em si!

O sentido da palavra “arte” assim como a classificação das atividades a ela ligada, variou muito desde o início da Idade Média européia. Esta tinha herdado da Antiguidade a noção de “artes liberais”, atividades intelectuais opostas àquelas em que intervinham a mão e o material. Mesmo considerando esses “ofícios” como inferiores, reconheceu-se a arte como profissão! Ofícios estes que exigiam especulação intelectual. Formou-se então o grupo das belas-artes: arquitetura, escultura, pintura, gravura e teatro, às quais se juntaram com a música e com a coreografia. Os que as praticavam passaram da situação de trabalhadores ou artesãos à posição mais independente de artistas.

Finalmente, diante de uma civilização industrial que pretendia garantir por si mesma a produção de bens materiais, aquilo que se tinha até então como exceção se tornou habitual no século XIX e XX. Porém, a jornada daqueles que trabalhavam como independentes artistas, para se manterem em condições favoráveis, não foi pacata. Foi preciso muito esforço dos artistas para conseguir um destaque adequado à sua coragem, que não era pouca. Para poder sobressair-se perante os outros ofícios, os trabalhadores artistas precisavam de pessoas que os apoiassem, acreditassem e principalmente, financiassem seu trabalho; não demorou muito para que surgissem essas parcerias, tendo como maior exemplo as Cortes Reais.

Voltando ao século XXI e ao ano de 2010, o grupo Teatro Por Que Não?, assim como na história da antiguidade artística, precisou de parceiros para poder levar adiante o seu trabalho, que historicamente é tão antigo! Dentre essas parcerias, que ajudaram a fortalecer e a levar para frente o trabalho do Teatro Por Que Não? conta-se com apoiadores culturais e de divulgação, assim como parceiros no próprio teatro, sendo eles a revista O Viés, a agência publicitária Latino América e o grupo Teatro Camaleão.



Segunda parte

Um pouco sobre nossos apoiadores, parceiros e quem já nos ajudou!

A revista independente de Santa Maria, O Viés, formada por estudantes de Jornalismo, é um dos parceiros do Teatro Por Que Não? que apóia culturalmente e ajuda na divulgação através da revista impressa, lançada em dezembro de 2010 como edição especial de primeiro ano da revista. A agência publicitária Latino América, que reside também em Santa Maria, apóia o Teatro Por Que Não? também na divulgação, ajudando com a preparação de flyers, cartazes e banners. Ajudou o grupo na fabricação desses materiais para sua temporada em São Paulo e continuará ajudando para futuras apresentações e viagens; tendo em vista o material de divulgação do grupo no FRINGE 2011. O grupo Teatro Camaleão, além de apoiador cultural é também parceiro de cena! A peça “Acordo Íntimo” é a prova disso: tem direção de Eduardo Colombo, integrante do Teatro Camaleão, atuação de Aline Ribeiro, Felipe Martinez e Juliet Castaldelo, integrantes do Teatro Por Que Não? e iluminação de Luiza de Rossi, também integrante do Teatro Por Que Não?.

Além de parceiros e apoiadores, a Universidade Federal de Santa Maria, também ajudou o Teatro Por Que Não?, no quesito financeiro, através de bolsas e transporte para a participação do grupo em festivais fora de Santa Maria, tais como o Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau (FITUB), o festival Rosário Encena e o festival Santiago Encena. O jornal Diário de Santa Maria, em 2010 contribuiu com o Teatro Por Que Não? através da divulgação, onde anunciou as apresentações das peças no jornal, chegando a uma média de mais ou menos 30 matérias (pequenas, médias e de capa) sobre os espetáculos e sobre o grupo.


Agora em 2011, o Teatro Por Que Não? começa com novos parceiros e apoiadores. A Cia. de Retalhos, também de Santa Maria, será um dos novos parceiros de cena do Teatro Por Que Não? com o espetáculo “O fio da Navalha”, baseado na obra “Navalha na carne”, de Plínio Marcos, tendo no elenco Helquer Paez, Cândice Lorenzoni (integrantes da Cia. de Retalhos) e Cauã Kubaski, integrante do Teatro Por Que Não?, assim como Felipe Martinez, diretor da peça.

Mas não é só de Santa Maria que o grupo receberá apoio! Com a participação do Teatro Por Que Não? no FRINGE 2011, a procura por novos apoiadores fora da cidade está sendo grande! E só nesse mês de janeiro o grupo já foi beneficiado com novos parceiros que ajudarão na divulgação e, pasmem, com a alimentação do grupo no Festival! Os novos “Amigos do Teatro Por Que Não? no FRINGE 2011” são o restaurante Lonatto Carnes e Massas e a rádio Borda do Campo FM TV Web-Rádio.



Por fim, no seu primeiro ano oficial, nós, do Teatro Por Que Não? fomos muito bem acolhidos por nossos colaboradores, que nos ajudaram em diversos quesitos. Esperamos que nossos cúmplices continuem conosco em 2011, nos apoiando e, é claro, sendo apoiados por nós. Almejamos também que mais pessoas, grupos, empresas e órgãos surjam a fim de nos ajudar e, principalmente, a confiar em nós e no nosso trabalho! Muito Obrigado!

Confira os endereços eletrônicos:


Conheça os parceiros do TPQN? no FRINGE 2011:



___________________________________

Texto: Rafaela Costa
Revisão: Felipe Martinez

Nenhum comentário:

Postar um comentário