Teatro Por Que Não?: A gente em gestão

quarta-feira, janeiro 19, 2011

A gente em gestão

Há alguns meses iniciamos uma jornada desafiadora dentro do mundo teatral. Não apenas desafios, mas também muito trabalho aguardava os primeiros passos de um grupo de teatro independente, o Teatro Por Que Não?. Trabalho. Esta palavra permeou constantemente nossos diálogos e ações em busca de êxitos e independência. Como acadêmicos e eternos aprendizes da arte, os caminhos inicialmente percorridos são desconhecidos e, por muitas vezes, árduos. 


Logo cedo outras perguntas que não a tradicional “teatro, por que não?” começaram a povoar as rodas de discussões e planejamentos de um grupo com sede de trabalho. Como? Onde? Quanto? Quem? Perguntávamo-nos. Além das perguntas, precisávamos, e continuaremos precisando de ações. A viabilização de espaços, estruturas, tempo, dinheiro, público, projetos e toda produção necessária para levantar a solidez de um grupo parecia tão importante quanto nossos espetáculos. E é! Da sala de ensaios para a sala de reuniões dividem-se as tarefas e empreitadas, onde as decisões definem o futuro próximo, bem como o distante. A gestão cabe ao grupo, a oito pessoas que aprendem no percurso. 


Para aqueles que questionam se artistas são capazes de gerir e produzir teatro, respondemos: estamos aprendendo. Gráficos, estimativas, divulgações, contabilidade, designs, projetos, arquivologia, tecnologias em informática também fazem parte do rol de atividades da nossa arte. E ainda sobra espaço para a amizade que costura a nossa produção artística. Uma parceria que ambiciona crescimento, uma parceria feita por pessoas, por gente, por nós.

______________________

Texto: André Galarça

Nenhum comentário:

Postar um comentário