terça-feira, janeiro 04, 2011

O Abajur Lilás


Foto: Eduardo Ramos

SINOPSE
Escrita há mais de 40 anos, no ápice da repressão e da censura pela ditadura militar no Brasil, O Abajur Lilás, de Plínio Marcos, retrata a amarga realidade de personagens marginalizadas. Com uma linguagem naturalista e visceral, a obra apresenta um universo de violência e opressão onde prostitutas são submetidas aos abusos de um inescrupuloso dono de prostíbulo e seu violento serviçal. Um ambiente onde os jogos de poder e os conflitos de interesses podem reduzir o valor da vida a menos que um abajur lilás.

Foto: Eduardo Ramos

SOBRE A MONTAGEM
Em O Abajur Lilás o grupo propõe uma aproximação entre o público e a linguagem de Plínio Marcos. Transformando o espectador em um elemento ativo dentro do espetáculo, derrubando a divisão entre este e os atores. O público faz parte da cena. Em uma linguagem atual, que retrata o 'sub-mundo' da sociedade brasileira, o grupo busca aprofundar a relação do espectador com este universo, um mundo no qual cada palavra, cada ação, pode ser fatal. Personagens comuns do povo brasileiro, com características viscerais, em um ambiente onde a vida parece não ter valor algum.


Foto: Divulgação Teatro Por Que Não?


FICHA TÉCNICA
Texto: Livremente inspirado no texto homônimo de Plínio Marcos
Direção: Felipe Martinez
Elenco: Aline Ribeiro, Cauã Kubaski, Deivid Machado Gomes, Juliet Castaldello e Luiza De Rossi
Iluminação e Assistência de Direção: Rafaela Costa
Sonoplastia: André Galarça
Cenografia: Marcos Paiani e Teatro Por Que Não?
Figurinos: Cândice Lorenzoni e Teatro Por Que Não?
Maquiagem: Teatro Por Que Não?

Foto: Eduardo Ramos

Foto: Eduardo Ramos

CURRÍCULO DO ESPETÁCULO
Apresentações realizadas

2009
10 de dezembro – Estréia do espetáculo no Bar São Francisco, em Santa Maria - RS.

2010
05 de fevereiro – Apresentação pelo Programa de Extensão Teatro Fora do Eixo, no Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS. 
12 de fevereiro – Apresentação pelo Programa de Extensão Teatro Fora do Eixo, no Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS.
17 de março – Apresentação na Semana da Calourada do Curso de Artes Cênicas da UFSM, no Teatro Caixa Preta – Espaço Rosane Cardozo, em Santa Maria - RS.
27 de março – Apresentação no evento 27 Horas Ininterruptas de Teatro, em Vale do Sol - RS.
10 de abril – Apresentação pelo projeto Treze: O Palco da Cultura, no Theatro Treze de Maio, em Santa Maria - RS.
13 de junho – Apresentação no 3º. FETISM – Festival de Teatro Independente de Santa Maria, no Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS.
8 de julho – Apresentação para a Sessão Maldita, do Festival Rosário em Cena, em Rosário - RS.
11 de julho – Duas apresentações no 23º. FITUB – Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau, em Blumenau – SC.
08 de setembro – Apresentação pelo projeto Palco Fora do Eixo, no Macondo Lugar, em Santa Maria - RS.
9 de outubro –Apresentação no 14° Festival Santiago Encena, em Santiago - RS.
18, 20, 21, 22 e 24 de outubro – Sete apresentações pelo projeto VEM: Valor, Ética e Moral, no Teatro Ítalo-Brasileiro, em São Paulo - SP.
23 de novembro – Apresentação no Hotel Morotin, na Semana da Erradicação da Violência Contra a Mulher, em Santa Maria - RS.

2011
1, 2 e 3 de abril - Três apresentações no Festival de Curitiba, no Centro Cultural Boqueirão, em Curitiba - PR.
06 de maio - Apresentação pelo 1º MOSAICO - Mostra Artística Independente do Catálogo Teatro Por Que Não?, no Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS.
28 de agosto - Apresentação do 13ª Festival Pedritense de Teatro, em Dom Pedrito - RS.

2012
28 de janeiro - Apresentação da casa de Diogo Reck Figueiredo, como premiação da rifa Por Que Não? em sua casa!, em Santa Maria - RS.
25 de fevereiro: Apresentação no mês de aniversário de 2 anos do Teatro Por Que Não?, no Espaço Cultural Victório Faccin, em Santa Maria - RS
10 de março: Apresentação no Festival Periferias, na cidade de Sintra - Portugal.
17 e 18 de março: Duas apresentações na Universidade Nova de Lisboa, em Lisboa - Portugal.
05 de maio: Apresentação no 2º MOSAICO - Mostra Artística Independente do Teatro Por Que Não?, como contrapartida ao Ministério da Cultura Brasileiro, pelo projeto Por Que Não? em Portugal contemplado pelo projeto de Intercâmbio e Difusão Cultural.

Foto: Eduardo Ramos

PREMIAÇÕES DO ESPETÁCULO

No 23° FITUB - Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau
- Melhor atriz para Aline Ribeiro.
- Melhor direção para Felipe Martinez.
- Indicações para: melhor atriz (Juliet Castaldello) e melhor espetáculo.

No 14° Santiago Encena
- Melhor maquiagem para o grupo.
- Melhor atriz para Aline Ribeiro.
- Melhor direção para Felipe Martinez.
- Melhor espetáculo.
- Indicação para: melhor ator (Cauã Kubaski).

No 13º Festival Pedritense de Teatro
- Melhor atriz coadjuvante para Aline Ribeiro.
- Indicações para: melhor cenografia, melhor atriz coadjuvante (Luiza de Rossi, Juliet Castaldello) e melhor direção (Felipe Martinez).

Foto: Divulgação Teatro Por Que Não?

OPINIÃO: REALISMO DO INÍCIO AO FIM
por Vinícius Batista, Jornal de Santa Catarina

"As sobrancelhas bem-feitas e arqueadas de Giro, o homossexual dono de um prostíbulo, interpretado pelo ator Cauã Kubaski, enfrentavam o público que se acomodava no pequeno auditório do Teatro Carlos Gomes para assistir O Abajur Lilás, a segunda peça da Mostra Universitária Nacional do Fitub, domingo à noite. Suas “funcionárias”, o trio Célia, Dilma e Leninha, circulavam entre as pessoas, com cigarro na mão e se aproveitando do colo de alguns homens, enquanto a trilha, com sambas antigos, criava um clima boêmio.
O realismo da preparação antes de subir ao palco continuou no enredo e na interpretação do Grupo de Teatro Por Que Não?, de Santa Maria (RS). O texto de realidade crua e nua de Plínio Marcos encontrou a medida certa nos personagens. Nem exagerado e sério demais, nem superficial e somente cômico. Trágico e engraçado, o enredo ganha força na cena final, quando o personagem Oswaldo, até então em segundo plano, se destaca e as atrizes se esgotam no sofrimento de seus papéis.
A cenografia simples colaborou para realçar o realismo da interpretação. O cansaço natural dos atores – o grupo apresentou o espetáculo em dois horários no mesmo dia – estava registrado na voz rouca, mas não fez o grupo perder pontos.
"

7 comentários:

  1. O Abajur Lilas, um texto de reflexão que aborda vários temas, num contexto histórico da ditadura, leva a refletir a insignificância que pode chegar o ser humano. O grupo desempenhou muito bem o desenrolar toda a trama na encenação, num cenario simples, sem sofisticação de luz, porém com grande desempenho dos atores, tanto na voz expressão corporal e principalmente expressão facial, prende o público deixando-o tenso, atencioso, causando sentimentos de compaixão, dor,ódio,indignação por 65 minutos. Ótimo espetáculo. Boa sorte a todos.

    ResponderExcluir
  2. Eu sou muito fã desta peça. O realismo nas interpretações prende de uma forma que quando tu sai do teatro, tu sai emocionado, com uma sensação de repudia e ao mesmo tempo com uma satisfação imensa de saber que aqui se faz teatro de extrema qualidade. Parabéns a todos os envolvidos.

    ResponderExcluir
  3. Resumindo: Um espetáculo, atuações dignas. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Eu assisti esse espetáculo no ano passado numa excursão da minha escola,lá no teatro Ítalo...
    Foi muito bom,muito realista.Além da história dizer muito sobre o que rolava na época que foi escrita e que rola até hoje fala muito que nem sempre mulheres viram prostitutas porque querem e tudo o que elas enfrentam nesse tipo de vida...
    Parabéns,adoraria assistir de novo esse ano...

    ResponderExcluir
  5. Poxa vida não tive oportunidade de assistir esta peça, porém, baseado nos trechos do site e na opinião de minha irmã, que teve o privilégio de ver o espetáculo, posso dizer que foi muito reaaaal, muito bem interpretado pelo Kauan e Aline e todos outros...

    Mais uma vez... PARABENSSSSSSSSSS!!!!

    ResponderExcluir
  6. saopkaspokasoa Nunca vou me esquecer do dia que eu olhei essa peça :3 uma das atrizes sentou no meu colo e tava a diretora da minha escola e alguns professores lá asopkaskosaoaks que vergonha kkkk mas é muito boa a peça U_U

    ResponderExcluir