domingo, março 13, 2011

Desdobrando para possibilitar!

Pois então... O teatro, quando feito de forma independente, também tem seus perrengues. Pensamos nas produções, nos espetáculos, temos idéias mirabolantes, mas... Na hora de colocá-las em prática, a palavrinha chamada viabilidade aparece como uma pulga atrás da orelha. E se não pensarmos nela, as coisas complicam!


Como transportar? Não dá? Vamos desdobrar! Foi um início disso que aconteceu na última sexta-feira com o cenário de Fim de Partida, um de nossos espetáculos. Com toda essa função de Fringe, e Curitiba, e longas viagens versus grandes cenários, nos juntamos e chamamos um cara que é brilhante: o Amaral. Criador de poços artesianos, soldador, inventor, criador de cenários e desvendador de mistérios... Foi ele quem nos ajudou a dar um jeito, aquele jeito, e quando vimos, as coisas foram diminuindo, e a viabilidade foi se se instaurando.


Ainda estamos em trabalho. Aliás, demos graças que estamos sempre em trabalho. Daqui uns dias, lá vamos nós para mais uma jornada feliz, assim esperamos. E, enquanto não vemos concretamente o desenrolar dessa jornada, vamos fazendo tudo que dá de longe, pra que a jornada seja como tiver que ser. E o Por Que Não? quer mais é jornadiar mesmo!

Um abraço saudoso a todos que nos lêem e acompanham.
E até logo, com mais informações sobre o novo novíssimo No Fio Da Navalha.

2 comentários:

  1. ah, como esse post é feliz!
    primeira foto: "Cascata de Luz"
    segunda foto: "Tcharám!"

    :D

    ResponderExcluir
  2. Puxa...me sinto como estivesse prsente no meio dessa agitação toda. Gostaria muito de estar com vcs. Mas...tcharám.....no dia 02 às 20 hs estarei na segunda fileira de frente para o palco...fazendo o quê???rsrsr Assistindo "O Abajur Lilás" esse espetáculo maravilhoso que vcs apresentam.Parabéns ...sucesso. Amo cada um de vcs. Bjs
    Cândida

    ResponderExcluir