Teatro Por Que Não?: Vem pro Mosaico!

quinta-feira, junho 02, 2011

Vem pro Mosaico!

O 1° MOSAICO - Mostra Artística Independente do Catálogo Teatro Por Que Não? encerra-se no próximo sábado, com o espetáculo Fim de Partida, livremente inspirado na obra homônima do irlandês Samuel Beckett. Com um bom resultado de público em todo o evento, queremos que assim ele se encerre! Então, convidamos a todos e todas para irem ao Espaço Cultural Victório Faccin (acesse o mapa aqui) no sábado, dia 04 de junho, às 20h30min, para fazer parte do fechamento dessa agitação cultural!


Release do espetáculo
Num universo profundamente hostil, degradado e submerso na enfermidade, encontram-se quatro seres corroídos pela escassez de recursos e pela espera da morte. Precisando suportar o peso das horas, Hamm (cego e paralítico), Nagg e Nell (mutilados) e Clov (manco), apegam-se a hábitos e jogos ensaiados, na busca de conferir sentido a existências cíclicas e insignificantes.

Fim de Partida por Gerardo Martinez

Ficha Técnica
Espetáculo livremente inspirado na obra homônima de Samuel Beckett; Direção: Luiza de Rossi; Elenco: André Galarça, Cauã Kubaski, Felipe Martinez e Rafaela Costa; Iluminação: Juliet Castaldello; Trilha Sonora: Daniella Paez; Operação de som: Luiza de Rossi; Maquiagem: Aline Ribeiro; Cenário e Figurino: O grupo; Duração: 80min; Classificação: 16 anos; Realização: Teatro Por Que Não?.


Fim de Partida por Gerardo Martinez

Além disso, o Teatro Por Que Não? está preparando novidades para logo! Aguardem por mais um evento de agitação cultural na cidade em parceria com o Boteco do Rosário. Ainda, vai a dica do texto de Caren Rodhen, integrante da revista o Viés, sobre o espetáculo Aquele Que Diz, apresentado sábado passado no 1º MOSAICO:

(...) O medo e o conservadorismo de nossas instituições, essas datadas para antes do século XX, são dois pontos para se pensar. Em um espaço que Brecht dá, o ator se questiona também e como partida. É visível que tudo que está interpretado com força, vem de uma pergunta feita com muita força. Por momentos, a exasperação da cena é tanta, que como espectadora senti-me desconfortável, pois sim, esse é o intuito. Entre sarros sérios no limite da agressividade, cenas irônicas e boas, como a que o ator dá o texto tal um padre benzendo. (...)


Boa tarde a todos! Continuem acompanhando!
Saudações teatrais!


Nenhum comentário:

Postar um comentário