Teatro Por Que Não?: 2º MOSAICO: Pela primeira vez... O primeiro milagre!

quinta-feira, junho 07, 2012

2º MOSAICO: Pela primeira vez... O primeiro milagre!

Com muito gosto e muita satisfação, no último sábado, encerramos o 2º MOSAICO lindamente. Os amigos e parceiros do Núcleo de Pesquisa Teatral Santa Víscera nos presentearam com uma bela estreia de O Primeiro Milagre do Menino Jesus, que contava com texto do italiano Dario Fo, atuação de Marco Antonio Barreto e direção de Graciane Pires.

O Primeiro Milagre do Menino Jesus - NPT Santa Víscera - Foto: Eduardo Ramos

Casa lotada, gente disposta a assistir e a discutir teatro. Foi o que aconteceu no debate pós-apresentação. Profissionais da área e público em geral colocam-se a disposição dos artistas para acrescentar, para sugerir ideias, para colocar questionamentos. Dessa maneira, a satisfação para ambos os lados. Artistas que saem da sala de espetáculos com a cabeça fervilhando com novas informações e pontos de vista, e público que teve suas curiosidades respondidas, suas considerações feitas e sua voz ouvida.

O Primeiro Milagre do Menino Jesus - NPT Santa Víscera - Foto: Eduardo Ramos

Mas o encontro não foi bonito apenas após o espetáculo. Durante também foi. Estreia é sempre tenso, sempre um pouco mais nervoso, mas também é o momento de extravasar as horas e horas de sala de ensaio, de trabalho de cena, de preocupação com os elementos cênicos. É o momento do teste, da primeira vez, de revelar ao mundo o que até então eram informações particulares. E a primeira vez de O Primeiro Milagre do Menino Jesus teve todos os pontos positivos possíveis para uma preciosa troca entre artista e público, entre palco e plateia. Energias que pulsaram para um só fim, e deu pra sentir.

O Primeiro Milagre do Menino Jesus - NPT Santa Víscera - Foto: Eduardo Ramos

Um contador de histórias que, para começar, assumia-se ator. Um ator que era um contador, que brincava de ser ator, que brincava de ser contador, e por aí vai. Mas nem de longe o espetáculo resumiu-se ao ator ou ao contador. Aos poucos, dos braços e pernas, do tronco, da cabeça, do rosto, surgem figuras, delineiam-se os personagens da história. Personagens cuja corporeidade tratava-se de desenhos, muito bem executados, unidos a diferentes vozes, diferentes energias, focos, trejeitos e micro-características.

O Primeiro Milagre do Menino Jesus - NPT Santa Víscera - Foto: Eduardo Ramos

Ainda, os personagens contracenavam entre si, nos revelando a cômica história de Dario Fo, que traz ao público a infância do Menino Jesus. De maneira inusitada, os fatos colocavam-se frente ao público, de uma maneira brincalhona, porém, repleta de intenção. E assim, vimos a (des)construção da figura universalmente conhecida de Jesus Cristo, de forma a concretizar um espetáculo que satirizava sem ofender, que divertia sem escrachar, que corporizava sem cristalizar, que comunicava sem desentender, que acontecia ao acontecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário