Teatro Por Que Não?: Um casamento de mentiras...

segunda-feira, julho 09, 2012

Um casamento de mentiras...

Uma calorosa noite de segunda-feira, um bar lotado de pessoas, bebidas, conversas, uma mesa comprida com toalhas brancas e pessoas vestidas de gala... Se não fosse essa última imagem, aparentaria ser só mais uma noite de encontros e conversas jogadas fora... mas não! Estava prestes a acontecer um casamento bem ali. Os noivos entravam com suas famílias, e as pessoas paravam para ver o que acontecia. Aquele canto, onde encontrava-se a mesa de branco, tornava-se o palco de mais uma leitura dramática. 


O Casamento do Pequeno Burguês, texto escolhido por um grupo de atores que traziam uma leitura que questionaria o público sobre muitas atitudes intrínsecas da sociedade, foi representado de uma forma bem espontânea. Os atores buscaram interpretar a maioria das rubricas, tornando o ambiente mais chamativo e atraente ao público, que se divertia com aquela história engraçada e angustiante ao mesmo tempo.





A história, que se passava na festa do casamento, trazia consigo um jogo de hipocrisia entre os familiares. A bebida servida tornava-se um instrumento para "contar as verdades". Aquelas pessoas reunidas passaram a jogar "informações" umas às outras... ferindo, magoando, caçoando e humilhando... e junto com esse troca-troca de respostas, os móveis da casa que haviam sido construídos pelo noivo eram demolidos "sem querer" ao longo da história.

O jogo, que começa a perder seu real sentido pelo tédio instaurando, mostra ao público o por quê de Bertold Brecht com essa obra: questionar-se sobre a sociedade, que traz consigo máscaras e mentiras escondidas. Uma das poucas comédias do dramaturgo alemão, onde as tradicionais regras de convivência, bem como os móveis aparentemente sólidos, desmoronam-se.


Nenhum comentário:

Postar um comentário