Teatro Por Que Não?: MOSAICO 2013 - Workshop Internacional em Santa Maria!

sábado, abril 27, 2013

MOSAICO 2013 - Workshop Internacional em Santa Maria!

O MOSAICO 2013 também é espaço para formação!

Com muita alegria, receberemos aqui, em Santa Maria, a Companhia Teatro de Sintra, de Portugal. E junto com o espetáculo que eles irão apresentar, receberemos o workshop As pré-existências e a centralidade do actor, na construção do espectáculo, ministrado pelo encenador português João de Mello Alvim. O workshop acontecerá de 31 de maio a 02 de junho, das 10h às 13h e das 14:00 às 17:30, no Espaço Cultural Victorio Faccin, e é voltado para atores profissionais ou amadores.


Não deixe de aproveitar essa atração internacional que estará presenteando Santa Maria! São apenas 12 vagas, então garanta a sua! Acesse esse formulário para realizar a sua inscrição!

O que? - Workshop As pré-existências e a centralidade do actor, na construção do espectáculo, com João de Mello Alvim (Portugal)
Quando? - 31/05 a 02/06 (sexta, sábado e domingo)
Que hora? - Das 10h às 13h e das 14:00 às 17:30
Onde? - Espaço Cultural Victorio Faccin (Duque de Caxias, 380)
Investimento? - R$ 50,00
Público-alvo? - Atores profissionais e amadores - Maiores de 18 anos
Nº de vagas? - 12
Material necessário? - Obrigatória a leitura prévia de O Figurão, adaptação da obra A teoria do medalhão, de Machado de Assis (O TPQN? enviará por e-mail o texto aos inscritos); Roupa confortável; Tênis; Caderno de apontamentos.
Inscrição? - Aqui, nesse link!

Conheça agora um pouco mais sobre trabalho de João de Mello Alvim, da Companhia Teatro de Sintra e sobre o conteúdo que será abordado no workshop.

Conteúdo programático
O método de trabalho em que assentará o workshop, As pré-existências e a centralidade do actor, na construção do espectáculo, mais do que movido pela preocupação em encontrar uma “zona de conforto” no contemporâneo, move-se pelo escavar de propostas que o tornem actual, tanto estética como socialmente. Ambiciona cruzar conhecimentos técnicos e as memórias dos inscritos (as “pré-existências”, segundo o conceito de Tadeuz Kantor) e confrontá-las com a variedade e cruzamento de outras propostas, com o inconformismo quanto a linhas estéticas canónicas, procurando pensar o teatro dentro de outras possibilidades, recusando mecanismos uniformizadores, antes privilegiando a procura de percursos inovadores em convivialidade tensional e produtiva.

Espetáculo A Patente - Encenação de João de Mello Alvim - Foto Divulgação Companhia Teatro de Sintra

Apoiados neste método de trabalho, a orientação primordial está na pesquisa do rigor na construção do espectáculo. Ter presente o essencial da história que se quer contar, para poder improvisar e refazer as cenas improvisadas, com novas improvisações e, com o novo material, procurar nexos para a uma nova sequência dramática e experimentar e alterar, até fixar uma proposta.

Como eixo gravitacional deste processo de trabalho, o actor, num primeiro desafio apelando à investigação da miríade de envolvimentos psicológicos na representação, e do escavar do ritmo da fonética dos textos e (da perplexidade) das situações; num segundo desafio a exploração das suas características corporais, num palco desapossado, quase ao limite, de aparatos cénicos e tecnológicos, ligando desta forma a um outro elemento do método que tem a ver com a utilização de praticamente um único objecto em cena: o abrir do jogo às possibilidades do objecto polimorfo e a procura do todo nos fluídos de cena (luz, espaço (s),música, movimento, etc). Como base de sustentação teórica, o conhecimento e a reflexão sobre o trabalho do autor; a ruptura, se necessária, com a narrativa sequencial; o desafio às consequências estéticas de abordagens não normalizadas, e a inquirição dos limites do produto final.

Espetáculo A Patente - Encenação de João de Mello Alvim - Foto Divulgação Companhia Teatro de Sintra

Currículo - João de Mello Alvim
Mestre em Comunicação e Artes, Faculdade Nova de Lisboa c/ tese s/ o “Real no teatro de T. Kantor”. Licenciado em Artes Plásticas pela ESBA Porto. Curso de Formação Teatral com Carlos Avilez, Águeda Sena e Madalena Victorino; Escola de Circo de Teresa Ricou; TEUC, Curso de Formação de Actores, dirigido por A. Gutkin; TUP, Curso de Formação Teatral dirigido por Victor Valente. Fundador do Chão de Oliva (CO); Director de Programação Casa de Teatro de Sintra; Director Festival Periferias; Director Artístico da “Dança para 4 Estações”; coordenador do I e II Mercado de Teatro em Sintra; co-fundador de O Realejo Cooperativa de Produção Teatral. Responsável por grupos de teatro escolar de 1978 a 95.
No Chão de Oliva, foi coordenador e monitor, área “Da palavra ao palco”, dos Seminários Internacionais de Artes Performativas, e professor coordenador do Curso de Animadores Teatrais do F. S. Europeu; continua responsável pelos Cursos de Iniciação Teatral do CO.

Espetáculo E a cabeça tem de ficar? - Encenação de João de Mello Alvim - Foto Divulgação Companhia Teatro de Sintra

Saiba mais sobre as peças que compõem o MOSAICO 2013 acessando a programação completa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário